Armando não deve voltar ao Senado para participar da votação do impeachment

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, disse hoje (25) que seu retorno ao Senado ocorrerá “no momento próprio”. Com mandato de senador pelo PTB, Monteiro é um dos últimos remanescentes da base aliada na equipe da presidenta Dilma Rousseff na Esplanada dos Ministérios. Também continua no cargo a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, senadora pelo PMDB. Questionado sobre o assunto, Armando Monteiro disse que, por enquanto, sua disposição é continuar trabalhando.

“O governo está na plenitude de suas atribuições e prerrogativas e, portanto, estaremos trabalhando até o último momento. O meu retorno ao Senado, farei isso no momento próprio”, disse. O ministro deu as declarações após participar de negociações da Comissão Bilateral Brasil-Argentina ao lado do ministro argentino da Produção, Francisco Cabrera. Esse foi o primeiro encontro da comissão após ser reativada em fevereiro, em Buenos Aires. O objetivo do grupo de trabalho é ampliar as relações comerciais entre os dois países.

Com a decisão de permanecer no Senado, o Caruaruense Douglas Cintra permanece na função, já que ele é o primeiro suplente de Armando. Cintra já confirmou que vai votar contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Impeachment de Dilma ainda precisa passar pelo Senado; saiba como vai funcionar

CgUrGBcWQAEjYZE

Com o sinal verde dado neste domingo (17) pela Câmara dos Deputados para abertura do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, o futuro do mandato presidencial está agora nas mãos dos 81 senadores.

Nesta segunda-feira (18), o processo será enviado ao Senado e no dia seguinte (19) lido no plenário da Casa. Ainda na terça-feira, os líderes partidários deverão indicar os 42 parlamentares que vão compor a comissão que analisará o assunto no Senado, com 21 titulares e 21 suplentes. A comissão tem prazo de 48 horas para eleger o presidente e o relator. Por causa do feriado de 21 de abril, nesta quinta-feira, isso deverá ocorrer somente na segunda-feira (25).

Os integrantes da comissão especial serão definidos conforme a proporcionalidade dos partidos ou dos blocos partidários. A partir daí, o colegiado terá dez dias para apresentar um relatório pela admissibilidade ou não do processo de impeachment. O que ainda não está claro é se são dias corridos ou dias úteis. O parecer será votado na comissão e independentemente do resultado também será apreciado pelo plenário do Senado. Em ambos os casos, a votação será por maioria simples.

Afastamento

Caso aprovada a admissibilidade do processo pelo Senado, o que deve ser decidido entre os dias 10 e 11 de maio, a presidenta Dilma Rousseff será notificada e afastada do cargo por um prazo máximo de 180 dias, para que os senadores concluam o processo. O vice-presidente da República, Michel Temer, assume o posto. Mesmo se for afastada, Dilma manterá direitos como salário, residência no Palácio da Alvorada e segurança. Nesse período, ela fica impedida apenas de exercer suas funções de chefe de Estado.

Postado pelo Blog do Mário Flávio

Assembleia: anulada eleição de Uchoa para presidente

Do Blog da Folha

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) determinou, nesta segunda-feira (11), que a eleição do deputado Guilherme Uchoa (PDT) para a presidência da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), ocorrida ainda em fevereiro de 2015, seja anulada. A ação, feita pela Ordem de Advogados do Brasil – seccional Pernambuco (OAB-PE), relata que é preciso de uma alternância de poder citando que o pedetista já está no cargo pelo quinto mandato consecutivo. O órgão usa argumentos baseados na Emenda nº 33/2011.

O processo nº 0008758-92.2015.8.17.0001, distribuído para a 2ª Vara da Fazenda Pública Estadual, também atinge o 4º secretário Eriberto Medeiros (PTC). Este está no seu terceiro mandato no cargo.

A redação da petição inicial teve a participação dos integrantes da Comissão de Estudos Constitucionais (CEC), e a impetração foi deliberada por votação unânime na sessão do Conselho Pleno da OAB-PE. A decisão já está no site do TJPE.

Uchoa já tinha recorrido e derrubado uma decisão da própria OAB-PE contra a sua posse ainda em abril de 2015.

Voto de Wolney contra o impeachment pode ser essencial para manter o PT no apoio a Jorge Gomes

wolney

No próximo domingo o voto do deputado federal Wolney Queiroz (PDT) pode servir como estímulo para manter o PT na aliança de apoio a pré-candidatura de Jorge Gomes (PSB) a prefeito de Caruaru. O pedetista vai votar contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, sendo um dos poucos de Pernambuco a ter essa posição.

Petistas avaliam que esse voto de Wolney é um bom argumento para que o PT apoie o nome de Jorge e mantenha a aliança com o governo Queiroz. O Partido dos Trabalhadores indicou o nome do presidente da sigla na cidade, Adilson Lira, para que ele seja o pré-candidato do PT a prefeito. A decisão final se dará em breve.

Blog do Mário Flávio

Morre ex-senador Ney Maranhão


Do G1

O ex-senador Ney Maranhão, 88 anos, morreu na manhã desta segunda-feira, no Hospital Jayme da Fonte, nas Graças, no Recife, por volta das 9h30. A notícia foi confirmada por Eduardo Maranhão, neto do político. Ele estava com câncer.

O corpo de Ney Maranhão será velado na Assembleia Legislativa de Pernambuco e cremado no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, Região Metropolitana do Recife. O horário do velório ainda está definido. O corpo dele ainda permanece no hospital.
Ney Maranhão foi prefeito de Moreno (Região Metropolitana), deputado federal por quatro legislaturas e senador da República de 1988 a 1995. Também ocupou cargo de assessor especial do ex-presidente Fernando Collor de Melo e foi presidente da Câmara de Comércio Brasil/China Mercosul Pacífico.
Maranhão ficou famoso durante um período muito conturbado da recente história política do Brasil: o impeachment do ex-presidente Color de Mello. Com seu terno de linho e suas sandálias de couro inseparáveis, ele ficou conhecido por integrar a tropa de choque colorida. Foi um dos três senadores que votaram contra o impedimento do ex-chefe do Executivo nacional.
Era chamado de “Senador Boiadeiro’ e ganhou fama nacional pela defesa das relações entre o Brasil e a China.

Repercussão

Pelas redes sociais, os políticos manifestaram apoio aos familiares do ex-senador. O primeiro foi Adilson Gomes Filho, prefeito de Moreno. “Nossos sentimentos à família e aos amigos”, escreveu.

Jovem morre vítima de bala perdida dentro de casa de shows em Lajedo

Um estudante de 19 anos foi morto a tiros na madrugada do domingo (10) dentro de uma casa de shows de Lajedo, Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Militar, o jovem foi vítima de uma bala perdida. Ele chegou a ser levado para uma unidade de saúde, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo a PM, durante a festa, os seguranças tiraram três pessoas do local por eles terem se envolvido em uma briga. Em seguida, o trio retornou à casa de shows e atirou contra o estabelecimento. Um dos disparos atingiu o estudante, “que não teve nada a ver com a discussão”, conforme informou ao G1 o comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar de Garanhuns, tenente-coronel Ely Jobson.

O corpo da vítima foi levado para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru. O caso foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de Lajedo. Até o momento da publicação desta matéria, os suspeitos não foram localizados.

G1/Caruaru

PDT e PRTB ficaram com as maiores bancadas da Câmara de Caruaru


Com o término do prazo para filiações partidárias encerrado no último dia 02, de acordo com a legislação eleitoral, o cenário político na Câmara Municipal de Caruaru sofreu mudanças. Dois partidos dividem o status de maior bancada na Casa: o PDT e o PRTB.

PDT – O PDT, que conta com o prefeito José Queiroz, ficou com cinco vereadores: o presidente da Câmara, Leonardo Chaves (ex-PSD), o vice Lula Tôrres (ex-PR), o ex-secretário de Desenvolvimento Rural, Zé Ailton, Ricardo Liberato (ex-PSC) e Ranilson Enfermeiro (ex-PTB).

PRTB – Já o PRTB, que também tem cinco vereadores, ficou com Heleno do Inocoop, Rodrigues da Ceaca, Edjailson da Caru Forró (ex-PTdoB), Rozael do Divinópolis (ex-PROS) e Duda do Vassoural (ex-DEM).

PMDB – Em seguida vem o PMDB, com os vereadores Louro do Juá (ex-SD), Eduardo Cantarelli (ex-SD) e Cecílio Pedro (ex-PTB).

PSDC – O PSDC ficou com os vereadores Nino do Rap (Ex-DEM), Jajá (que estava sem partido, depois de deixar o PMN) e Sivaldo Oliveira (ex-PP).

PP – O PROS perdeu o vereador Demóstenes Veras, que foi para o PP.

PSB – O PSB, partido do vice-prefeito Jorge Gomes, também ficou com apenas um representante, o vereador Marcelo Gomes.

PSDB – O vereador Gilberto de Dora, que integrava a legenda socialista, migrou para o PSDB, seguindo a deputada estadual Raquel Lyra, que deixou o PSB para poder disputar a prefeitura.

MAIS PARTIDOS – Entre os que permaneceram nos seus partidos estão os vereadores Edmilson do Salgado (PCdoB), Romildo Oscar (PTN), Carlos Santos (PRB) e Tenente Tiburcio, do PMN.

Blog do Mário Flávio

VICE PREFEITO PERDE PARTIDO PARA JEOVÁSIO ALMEIDA

downloadNo último sábado (02) foi o prazo final para quem vai disputar as eleições municipais 2016 para filiar-se a um partido político. Para surpresa de todos, Reinaldo Pacheco atual vice prefeito do município de São Caetano no Agreste do Estado, perdeu o PSB para Jeovásio Almeida, ex-prefeito, o vice prefeito ingressou no PCdoB.

Já o PTB recebeu os vereadores, Lé Leal, Geraldo da Galinha e Abraão, o PDT vem com João Chaves e a professora Gilda.

Com o PSB nas mãos de Jeovásio, cria-se uma expectativa para o futuro, os partidos aliados ao Governador, ficam onde estão ou seguem as orientações do Palácio dos Campos das Princesas? A exemplo do vereador Marcos macaxeira que ficou no PMB.